Quais são seus planos para 2018? 'Mudar todas as senhas' deve ser um deles



Todos os anos aparecem na internet listas com as senhas mais utilizadas do mundo, sempre com ?123456? no primeiro lugar. Naturalmente, no fim de 2017, a famigerada lista apareceu novamente e traz, sem surpresa, a dita combinação de números no primeiro lugar, seguida por ?password?. Acontece que não é possível inferir que essas sejam de fato as duas senhas mais usadas do mundo ou que elas sequer representem alguma grande parcela das senhas circulando pela internet atualmente.

Isso porque a lista deste ano foi compilada a partir de 5 milhões de senhas vazadas por hackers durante 2017. Considerando que existem hoje mais de 3,2 bilhões de pessoas online, é muito improvável que essa pequena amostragem represente qualquer coisa próxima da realidade.

Mesmo assim, é obvio que você não deve usar combinações tão ridículas como essas, e ter uma senha com caracteres especiais ajuda a proteger você de ataques direcionados. O problema é que nem a senha mais complexa e aleatória do mundo poderia proteger você de um ataque de phishing, quando um criminoso tenha lhe enganar com algum truque para lhe fazer digitar sua senha em algum lugar e, assim, ter acesso à sua conta.

A única forma de se proteger contra esse tipo de coisa é mudando todas as suas senhas com frequência. Isso deveria ser uma prática comum entre todos nós, especialmente para quem faz compras online, trabalha com emails corporativos ou é, em maior ou menor grau, uma pessoa relativamente conhecida na internet.

Aproveite que 2018 está aí e tente criar esse hábito, fazendo uma resolução de ano novo ou mesmo uma ?promessa? para si mesmo. Mudar suas senhas a cada três ou seis meses não é exatamente um grande problema e pode tornar a sua presença na web muito mais segura.

Só que, quem tem muitas contas em múltiplos serviços provavelmente não vai achar esse tipo de resolução de ano novo algo prático a se fazer. Até porque é difícil lembrar onde você tem alguma conta e, também, as senhas de fato para elas.

Nesse caso, é interessante usar um gerenciador de senhas de confiança.
Mas se você não quer usar recursos como esse, pelo menos fique prevenido com atitudes saudáveis:

- Evite salvar muitas senhas no navegador
- Ative a autenticação em duas etapas em todos os serviços que contarem com o recurso
- Tenha senhas diferentes pelo menos para os principais serviços
- Não use combinações óbvias nem coisas que possam ser facilmente ligadas a você
- Tente criar senhas fortes: com caracteres especiais, mais letras e menos números
- Use guias privadas para navegar em computadores ou smartphones alheios
- Procure opções de navegador mais seguras
- Tenha um antivírus confiável no PC ou Mac

Seguindo essas dicas, as suas chances de ser exposto na web certamente vão diminuir.


retornar ao blog

02

01

2018

158

Visualizações

10

:

30

Precisando de ajuda?

Se você ainda tem dúvidas sobre qual produto escolher, um consultor está pronto para atendê-lo.

(011) 2146-7999